Seguidores

terça-feira, 11 de julho de 2017

Inverdades - (Decanato Poético)





Por que correr tanto assim amor meu
Não queiras perder o que a vida te deu
Tua atenção está falhando, me esqueceu?

Tua forma de amar parece que difere da minha
Dou tudo de mim, fico igual criancinha
Quando em teus braços fortes se aninha

Será que teu amor desistiu de me amar
Se as bonitas palavras eram para me enganar
Das inverdades restou um ácido amargar

Não se engane, não estou disposta a amar o nada

 
assinatura_2%2B%25281%2529.gif


sexta-feira, 7 de julho de 2017

Amo a Natureza - Tercetos Poéticos























Amo a natureza e toda sua beleza,
Bailado das ondas do mar, uma lindeza!
Cores e variedades das flores, só pureza.

Deus, divino criador nos presenteou,
Essa grandeza chamada terra, e semeou
Frutuários e várias espécies espalhou.

Graciosas praias com seus coqueirais,
Há beleza nos mares e mistérios abissais,
Indiscutivelmente, são encantos naturais.


Justo seria, a floresta não devastar.
Lua prateia o céu, terra e mar,
Montanhas à noite se vestem de luar

Noite enluarada, que cena divinal!
O céu com estrelas sorrindo, vejo do meu quintal.
Paro, embevece-me o cenário astral.


Quando amanhece, o despertar é grandioso,
Raios de sol, lá fora, aves com seu cantar prazeroso,
Sinfonia que me encanta, ouvir é muito gostoso.


Terra que produz o sustento... Amém!
Usufruir e respeitar esse grande bem,
Valioso presente que muitos desconhecem.


Xeque mate para o devastador cheio de sagacidade,
Zerado de vontade de agir em prol da produtividade.




assinatura_2%2B%25281%2529.gif

terça-feira, 27 de junho de 2017

Amor Antigo ( ABC Poético)




Amor antigo, espera no portão, coração  descompassado.
Beijar, nem pensar, só as escondidas, e nada demorado,
Conversava-se na sala sob vigília, o pai,  ali sentado.

Durante décadas,  o rigor familiar foi 
imperioso.
Era escolhido pela família da moça, o futuro  esposo.
Falar sobre sexo, era proibido, tido como vergonhoso.

Gradativamente  os hábitos  foram 
mudando,
Hoje, o romantismo está literalmente enterrado,
Inflamaram  o amor, sensatez é coisa do passado.

Justo por que  a educação  doméstica virou 
liberalidade.
Lá pelos anos idos, as moças eram recatadas de verdade.
Meninas e meninos  não conheciam a atual  maldade.

Nem  as vestes despertavam  atenção, o homem era 
prudente.
O namoro era romântico,  geralmente, sem agravante.
Pensar sair sozinha, jamais, mesmo adulta, filha era obediente.

Quando ousava  fugir o domínio dos 
pais 
Ranzinzas, o castigo era severo e sem ais!
Santas não eram, mas eram moças especiais.

Tagarelas, sim! Mas, com um linguajar 
adequado.
Uma jovem não se insinuava para solteiro ou casado,
Vida recatada e  namoro sério era o preconizado.

Xeretar pela rua, era coisa de mulher 
perdida.
Zuar com seus mestres, ah! Teria que ser punida!


assinatura_2%2B%25281%2529.gif


terça-feira, 20 de junho de 2017

Estrada da Vida




Na nossa estrada da vida
Estamos sempre de partida
Por tanto, amemos sem medida.

Esquecer todo e qualquer preconceito
É requisito básico que surte efeito
E ajuda a engrandecer nossos feitos

Temos que ter tempo para tudo
Saber separar o linho do veludo
Preparar o coração, para viver bem nesse mundo

Rogar a Deus discernimento e seguir seus ensinamentos.


assinatura_2%2B%25281%2529.gif

segunda-feira, 19 de junho de 2017

Letra é Vida (ABC Poético)


Estilo criado pela poetisa Norma silveira




































A carta de ABC, tão singela e poderosa,

Bagunçou meu cerebelo, logo me tornei pretensiosa.


Conhecendo o alfabeto e o que poderia com ele fazer,

Derretida de paixão pelas letras, que prazer,

Explicitar meu sentimento através do “escrever”!


Foi como um flash clareando a negritude indicando um caminho.

G
alguei mais um degrau,a primeira palavra pousou no pergaminho.

Horizontes longínquos vislumbrei, ali mesmo no meu caderninho!



Jus fiz ao aprendizado, formei a primeira frase,

K
aramba! Fiquei eufórica, em êxtase!

L
etra que dá forma e vida à palavra,


Mais uma transformação que enriquece a lavra

Nessa vida quem não ler à mente trava


O saber engrandece, traz o mundo às nossas mãos.

P
alavra tem poder, Bem (dita) ou mal (dita) pode virar ação.

Que não se use para denegrir, é sagrada, e é transformação!


Rasga o véu da ignorância, abre as portas, facilita acesso!

Sem uma boa verbalização também não haverá sucesso!


Todo ser racional precisa aprender para ler e conhecer,

U
sufruir dos seus direitos através do saber.

Vaga sem perspectiva àquele que nada quer aprender


Xô ANALFABETISMO! O homem iletrado tem mente vazia

Z
en é quando a mente está plena de palavras e ideias.


assinatura_2%2B%25281%2529.gif


sexta-feira, 16 de junho de 2017

A B C Poético - Ser Mulher

Experimental criado pela poetisa
 Norma Aparecida Silveira






















A Mulher; rosa que enfeita os jardins da vida,
Bela, menos bela, ousada ou atrevida,
Cada uma com sua essência é sempre querida.



Detém em si o poder natural de encantar,
Em tempos idos, foi submissa, e num breve despertar.
Foi aos poucos conquistando seu direito de reivindicar...

Galgar um lugar ao sol, sair do anonimato.
Hoje, algumas ocupam lugar de destaque, é fato!
Intransigência? Não! Desejo de igualdade imediato.

Jóia preciosa é o ser Mulher, por isso precisa ser respeitada.
Lembrança trágica nos traz o Dia 08 de Março, ficou gravada.
Mulheres unidas não calam e estão em luta aguerrida...

Não é novidade ver a mulher almejar sucesso,
O desejo de levar a luta à frente não é pretenso,
Progresso é a palavra de ordem, assim eu penso.

Querem ser reconhecidas e seus feitos lembrados.
Retroagir, temer e calar é coisa do passado,
Seus direitos foram por muito tempo negados,

Tomaram as rédeas, estão com o ego a ferver,
Uma mulher determinada não se deixa abater,
Viver à mercê de “nãos”, e com a violência conviver...

Xerifes em casa? Sem chance; tratar mulher com desdém,
Zueira no lar? Os tempos mudaram, a mente feminina também!

assinatura_2%2B%25281%2529.gif

quinta-feira, 15 de junho de 2017

Violeta na Janela






Quando me encontro sozinha
Seja na sala ou na cozinha
Parece que a poesia advinha

Dita versos ao meu ouvido
Como quem faz um pedido
E com meu linguajar tímido

Largo tudo, pego a caneta
Me inspiro olhando a violeta
Que recebe o beijo da borboleta

Oh Poesia, em meu coração fazes festa!

assinatura_2%2B%25281%2529.gif